Pensão Alimentícia – Indignação – Justiça

Bom, não sei se todos sabem, mas sou advogada ! 
E vez ou outra vejo coisas que me indignam !

Vamos ao assunto…

Um caso de pensão alimentícia.. onde o pai das crianças tinha um salário que justificava o alto valor da pensão. Pois bem, o pai se “aposentou” e seu salário de R$ 85 mil Reais foi a R$ 5 mil Reais.

O que um pai faria não tendo o valor da pensão que o Juiz estipulou ?
Bom, o pai tem que informar o juiz a nova realidade econômica e pedir a redução do valor da pensão alimentícia. Pois bem… ele o fez.

Tempos depois nada do processo ser resolvido pois o pai ainda não obtivera a redução da pensão estipulado pelo juiz devido a morosidade da Justiça.

O pai casou-se novamente com outra mulher e com esta tivera mais 2 filhos. Ou seja, mais do que nunca se justifica a redução da pensão.

Bom, o valor da pensão acumulou-se e a mãe das crianças pediu a prisão do pai judicialmente.

O pai se apresentou na delegacia, explicou o fato de não ter podido pagar a pensão e ficou preso, aguardando a solução do caso.

Pois bem… Dia 02 de agosto, a redução da pensão foi judicialmente aprovada e hoje o pai conseguiu sua libertação.

No meu ponto de vista, é um absurdo este pai ter tido que ficar preso. Pois se a redução da pensão tivesse sido mais rápida nos trâmites legais, ele não precisaria ter passado por isso, de ter sido privado de sua liberdade, e nem da convivência com sua família.

É cruel e triste ver esta realidade.

Porque tanta morosidade a ponto de chegar a restrição da liberdade de uma pessoa. 
Não se pode tratar assim um pai que entrou na Justiça a uns 4 anos atrás pra redução da pensão. Isso é incoerente.

Espero que o pai liberto hoje consiga esquecer este episódio e a mãe das crianças coloque a mão na consciência e pense no seus filhos e não só em si mesma. Porque, me diz… o que ela ganhou com isso ? A pensão foi reduzida, não teve aumento da pensão que ela almejada e ele foi liberto hoje.

Mães, pensem antes de colocar o pai dos seus filhos na cadeia. Pode ser uma péssima opção, ainda mais qdo vc sabe que ele já havia pedido a redução de pensão e se “aposentado”.

Niguém sai ganhando de uma situação dessa. NINGUÉM.

E a minha maior preocupação é com os filhos, como ficaram sabendo que o pai estava preso ?
O que a mãe pode enfiar na cabeça dessas crianças ??
Fica fácil uma Alienação Parental, neste caso.

Enfim… cada caso é um caso.

Mas sempre ponderem muito, mas muito mesmo antes de uma atitude dessa seja vc quem for. Afinal, quem tem que manter os filhos é o pai e a mãe e não só o pai que tem que dar ajuda pecuniária. A obrigação é a mesma.

E a pensão nunca vai suprir todas as necessidades da(s) criança(s), mas sim vai ajudar com a parte do pai ou mãe. Mas também tem a parte de quem detém a guarda das crianças. Não é só receber a pensão e ficar de papo pro ar.

O que a maioria das mãe alega é que a pensão não dá nem pro cheiro.
Bom, então trabalhe ou entre na justiça e peça aumento da pensão. Mas nunca, NUNCA o valor da pensão deva deixar o pai ou a mãe (aquele que detém a guarda) com dinheiro sobrando.
Afinal, a Justiça tem que “fazer” a mãe ou o pai trabalharem pra, também, ajudar nos gastos da(s) criança(s).

Senão… daqui a pouco tá todo mundo dando golpe da barriga e usando os filhos pra obter uma situação financeira sossegada em que não tenha que batalhar por nada.

Mãos a obra, mães e pais. Nada de se escorarem nos outros.

Se teve o filho, arque com as consequência e batalhe por sua vida e pela da criança.

É isso… 

Beijosss e mais beijossss 

Pati Filatte

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s